Quais as características do motor 1.0? Ele é mais econômico?


Mesmo que você não entenda tanto a respeito do assunto, deve saber que carros com motor 1.0 são os mais econômicos. Mas já parou para pensar nas características desse tipo de motorização e nos motivos que explicam sua economia?


Embora seja frequentemente ignorado pelos fãs de potência, o motor 1.0 ainda cumpre um papel importante nos dias atuais, e as novas tecnologias prometem acabar de vez com a fama de lerdo que ele carrega.

Neste artigo você compreende tudo sobre os motores 1.0, desde a origem até vantagens e desvantagens, passando pelas razões da popularidade nas cidades. Acompanhe e faça boa leitura!

As cilindradas do motor

As descrições 1.0, 1.4 ou 2.0 dizem respeito à quantidade de cilindradas do motor, como esclarece o engenheiro mecânico Denis Marum. A cilindrada é a capacidade cúbica (cm³) de ar e combustível que cabe dentro dos cilindros responsáveis por movimentar os pistões que, por sua vez, impulsionam o veículo.

Assim, quando dizemos que um carro é 1.0, por exemplo, significa que seu motor comporta 1.000 cilindradas ou 1.000 cm³ de combustível, o que equivale a um litro. Logo, quanto maior for a cilindrada, maior será o volume de combustível queimado a cada movimento dos pistões e, consequentemente, crescem a potência e o desempenho do veículo.

Por isso, motores 1.4 ou 2.0 são mais fortes que os de 1.000 cm³. Entretanto, essa forcinha adicional exige um consumo maior, o que explica a economia do motor 1.0 em relação aos seus concorrentes de cilindrada superior.

A origem do motor 1.0 no Brasil

Desde 1960, vários fabricantes já “depenavam” alguns modelos para diminuir custos e tornar os veículos mais acessíveis. Porém, foi só em 1990 que uma resolução diminuiu pela metade o IPI cobrado para os carros com até mil cilindradas, o que provocou a enorme onda dos motores 1.0 no Brasil.

A Fiat saiu na frente no segmento, reduzindo o já modesto motor de 1050 cm³ do Uno para 994,4 cm³. Surgia então o primeiro carro com motor 1.0 do país, o Uno Mille, que apesar de seus humildes 48 cavalos de potência, atingiu um grande sucesso de vendas e motivou as marcas concorrentes a explorarem esse nicho também.

As diferenças entre motores 1.0 turbo e aspirado

Conforme já abordamos, carros com motor 1.0 são os que comportam 1.000 cilindradas. Isso se reflete em uma grande economia, pois eles precisam de menos combustível — embora haja potência menor.

Mas você sabia que existem as versões turbo e aspirado do motor 1.0, que possuem desempenho superior? A seguir, explicamos detalhadamente sobre cada uma delas.

Motor 1.0 aspirado

Nesse sistema, a mistura de ar e combustível entra no motor de maneira natural, à pressão atmosférica, de acordo com a movimentação dos pistões. Assim, a mistura apresenta comportamento muito mais uniforme e controlado dentro da câmara de combustão, garantindo uma sensação de progressão contínua ao dirigir o automóvel.

Uma das principais vantagens do motor aspirado é que o motorista pode aproveitar mais potência mesmo em rotações baixas ou altas. Se no motor convencional se faz necessária a mudança de marcha para chegar até a aceleração máxima, no aspirado dá para dirigir com folga suficiente em marchas longas.

Motor 1.0 turbo

No motor turbo, o ar não é admitido nos cilindros de forma natural. Afinal, ele recebe compressão prévia por um sistema que funciona à base dos gases do escapamento. Essa motorização conta com elementos bastante inovadores, pois mesmo que o motor seja 1.0 — de menor potência — sua eficácia figura em nível superior em relação ao aspirado.

Se você já dirigiu um carro com esse tipo de motorização, provavelmente experimentou a sensação de uniformidade do motor até a chegada da faixa de giros. Nesse momento — chamado de turbo lag —, a turbina é acionada e há um ganho claro e considerável de potência.

No entanto vale a pena destacar que, nos veículos de motores mais sofisticados, o turbo lag foi praticamente eliminado. Isso porque a motorização possui controle eletrônico de pressão no sistema ou tanque reserva de ar comprimido, transmitindo a sensação de progressão da potência sem espera.

As vantagens do motor 1.0

Apesar do que muita gente pensa, o carro 1.0 entrega inúmeras vantagens em comparação a outros tipos de veículo. Em diversos casos, aliás, ele ainda assegura um alto custo-benefício. Abaixo, separamos seus principais diferenciais.

Modelo mais barato

Geralmente, os veículos com motor 1.0 são modelos de entrada. Portanto os preços costumam chamar mais atenção, mas não se engane!

Dependendo das características do carro e seus opcionais, o valor de um 1.0 pode ultrapassar o de um 1.4 sem acessórios. Nesse caso, é preciso considerar os objetivos pessoais no processo de escolha do carro.

Menor custo com licenciamento

Além da diferença no preço, os automóveis de 1.000 cilindradas contam com uma tributação menos salgada, o que está relacionado diretamente ao menor valor de compra do veículo.

Baixo custo com manutenção

Os custos com manutenção também costumam sair mais em conta se você comparar o carro 1.0 com outros mais potentes.

O motivo é que as peças de substituição desses modelos são mais comercializadas e, consequentemente, podem ser encontradas mais facilmente no mercado, com preços mais acessíveis.

Menor consumo de combustível

A economia de combustível desses modelos é uma das vantagens que mais agrada aos consumidores.

Isso está relacionado tanto à potência do automóvel — que não tem tanta força — quanto ao seu volume menor — exigindo esforço reduzido do motor. Graças a esses dois pontos, o motor do carro 1.0 consome menos combustível.

Boa dirigibilidade nas cidades

A potência talvez deixe a desejar em subidas íngremes e pistas longas. Por outro lado, considerando apenas trajetos urbanos, os carros com motor 1.0 são bastante eficientes e cumprem seu papel de locomoção nas cidades.

Mas é importante ficar atento, pois se você também trafega muito em estradas e pretende usar o ar-condicionado constantemente, o consumo de combustível pode aumentar e chegar próximo à marca de veículos 1.6 ou 1.8. Afinal, o uso contínuo do ar demanda trabalho adicional do motor.

Para aqueles que desejam um bom desempenho do veículo em qualquer situação, a nova geração de motores 1.0 de três cilindros garante bons resultados.

A nova geração do motor 1.0

Imagine unir a economia do motor 1.0 à potência de um antigo 1.6 ou 1.8? Essa é a proposta da nova geração de motores turbo de três cilindros com injeção direta. Tal motorização já equipa modelos bastante populares e que marcam presença entre os mais vendidos.

Dê só uma olhada nos cinco carros 1.0 mais comercializados no Brasil em 2020:

  • Hyundai HB20;
  • Ford Ka;
  • Volkswagen Gol;
  • Renault Kwid;
  • Fiat Argo.

Ao contrário das versões tradicionais com quatro cilindros, esses novos motores têm pistões e cilindros maiores, diminuindo o atrito entre eles, apresentando quantidade reduzida de peças devido ao cilindro a menos. Isso significa peso inferior, menor calor gerado e minimização da perda de energia, favorecendo o desempenho do veículo.

Como você conferiu, o motor 1.0 integra a história da indústria automotiva do país e promete continuar fazendo sucesso por muito tempo. As antigas versões são ótimas alternativas de mobilidade em centros urbanos, enquanto as novas prometem ocupar cada vez mais o mercado e conquistar o público exigente.

Gostou do nosso post? Acha que seus amigos também têm interesse em saber mais sobre o motor 1.0? Então compartilhe o post nas redes sociais e ajude-os a tirar dúvidas!



Notícias recentes
Nissan March
Nissan March Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...