Ar-condicionado automotivo: como funciona e quais são os cuidados necessários


Em um país tropical e com altas médias de temperatura como o Brasil, o ar-condicionado automotivo deixou de representar um luxo e passou a ser item essencial. Contudo, é preciso tomar alguns cuidados com esse sistema, o que ajuda a evitar desgastes prematuros em seus componentes e, principalmente, prejuízos à saúde.


Ao longo do texto, você vai conhecer o funcionamento básico de um sistema de ar-condicionado automotivo, quais medidas preventivas colocar em prática e como não desperdiçar combustível. Acompanhe e faça boa leitura!

Como funciona o ar-condicionado automotivo?

O sistema funciona de forma bem semelhante aos outros modelos de ar-condicionado encontrados no mercado, usando princípios como evaporação, condensação, compressão e expansão. Os principais componentes responsáveis pela refrigeração do veículo são:

  • compressor;
  • filtro secador;
  • condensador;
  • válvula de expansão;
  • evaporador;
  • ventilador;
  • gás refrigerante.

O ar-condicionado automotivo é basicamente um trocador de calor que usa as mudanças de estado de um fluido refrigerante para controlar a temperatura no veículo. Um compressor, conectado ao motor por meio de uma correia ou polia, pressuriza o fluido — em estado gasoso — e o envia através de tubulações até o condensador, que tem a função de resfriá-lo. Devido à alta pressão e à queda na temperatura, esse fluído torna-se líquido.

Uma vez nesse estado, o fluido é enviado ao filtro secador — ou filtro de ar —, responsável por remover umidade e impurezas. Após a conclusão do processo, o material refrigerante é transferido à válvula de expansão para redução da sua pressão e temperatura, transformando-o em uma espécie de névoa.

Por fim, o fluido é conduzido ao evaporador, passando por várias serpentinas de cobre. Um ventilador, localizado à frente desse componente, lança o ar frio pelas tubulações do veículo e refrigera o seu interior.

Conforme o material refrigerante começa a esquentar, ele vira gás novamente e, na sequência, o ciclo se repete. Um termostato, localizado no evaporador, controla a temperatura interna do automóvel por meio do acionamento ou não do compressor.

Que cuidados devem ser tomados e como fazer a manutenção?

Ter um ar-condicionado automotivo é uma ótima ideia e torna a direção muito mais tranquila e confortável.

No entanto, se você quer agregar saúde e bem-estar à direção, é importante prestar atenção a determinados detalhes. Quer saber quais são eles? Confira a seguir!

Promova a manutenção periódica do ar-condicionado

De acordo com Rubens Venosa — engenheiro proprietário de oficina mecânica e consultor da Revista AutoEsporte — a manutenção dos automóveis com esse equipamento precisa ser feita constantemente, ao menos de seis em seis meses, e por profissionais qualificados.

O filtro de ar é o causador de grande parte dos problemas — sejam mecânicos ou de saúde — relacionados ao ar-condicionado automotivo. Lembre-se de que ele filtra as impurezas e remove a umidade do fluido, ambas prejudiciais aos demais componentes do sistema, como o compressor.

Segundo Francisco Satkunas — engenheiro e conselheiro da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade —, os primeiros sinais de que o filtro apresenta problemas e precisa ser substituído são mau cheiro e baixa ventilação.

Limpe o equipamento com frequência

Fazer apenas a manutenção do ar-condicionado não é a solução. Todo o sistema exige higienização constante, uma vez que o ar refrigerado passa por uma série de tubulações que acumulam poeira e micro-organismos. Estes, por sua vez, podem causar doenças especialmente em pessoas alérgicas.

O tempo indicado para essa limpeza é a cada seis meses, e isso deve acontecer independentemente da frequência de uso ou do tipo do ar-condicionado. Ou seja, o equipamento precisa ser limpo de maneira periódica mesmo por motoristas que não utilizam o carro todos os dias.

A higienização ocorre por uma equipe especializada, que verifica as condições do ar-condicionado automotivo e substitui possíveis itens danificados, empregando os produtos certos para cada tipo de sistema.

Troque o filtro de ar

O filtro de ar é o item responsável por deixar puro o ar dentro do automóvel, pois retém todas as impurezas do ambiente externo. Ele ainda impede que outras peças e o motor sejam danificados, já que evita que a sujeira chegue até essas partes.

Portanto, é imprescindível trocar o filtro de ar periodicamente, necessidade que ganha ainda mais importância durante a pandemia de Coronavírus. Afinal, é possível que o filtro retenha o vírus. Se ele não for trocado no tempo certo, haverá um percentual alto de sujeira acumulada no equipamento, e o vírus pode acabar infectando as pessoas em contato.

Não há um prazo correto para promover a troca do filtro de ar: ele varia de acordo com a frequência de uso e se o carro roda por locais com um alto índice de poluição ou não. No entanto, a recomendação é que a troca aconteça a cada semestre.

Evite ligar o carro com o ar funcionando

Muitos motoristas se esquecem desse cuidado, mas ele é essencial para garantir uma maior vida útil da bateria.

Se o ar-condicionado for ligado antes de você dar a partida no carro, a bateria pode sofrer prejuízos, uma vez que uma maior carga elétrica será necessária para o veículo funcionar.

Preste atenção ao mau uso da recirculação do ar condicionado

Ao passar por locais com odores fortes — como em estradas com muita poeira ou locais próximos de caminhões, por exemplo —, entra em cena uma função vital do ar-condicionado automotivo: a recirculação. Ela tem o objetivo de evitar a troca entre o ar interno do automóvel e o ar externo, e ainda ajuda a tornar a refrigeração mais rápida.

No entanto, é muito importante que ela não fique ativada por tempo demais, pois se o ar não for trocado, o ambiente interno do veículo se vicia. Assim, o nível de oxigênio cai e o de gás carbônico cresce. Isso pode causar sensação de sono e cansaço no motorista e nos passageiros, comprometendo saúde e segurança, já que as chances de acidentes sobem.

Como economizar combustível e evitar desgastes prematuros?

Caso você seja dono de um automóvel, sabe que ele traz muitas despesas todos os meses. Entender como usar o ar-condicionado corretamente é imprescindível para reduzi-las.

Em dias muito quentes, abra as portas do veículo e deixe o ar quente sair antes de ligar o sistema. Lembre-se de que, quanto maior a temperatura no interior do veículo, mais tempo o compressor — item conectado ao motor — ficará ativado e maior será o consumo de combustível.

Também é importante não ficar muito tempo ativar o ar-condicionado, mesmo durante o inverno. Indica-se o uso do ar-condicionado ao menos uma vez por semana para garantir a eficiência do gás refrigerante. Além disso, se o carro permanecer sem rodar, há o risco de rachaduras surgirem em peças de borracha responsáveis pela vedação do conjunto.

Agora que você já conhece um pouco mais a respeito do ar-condicionado automotivo, não deixe de realizar as revisões necessárias. Assim, assegura que o equipamento continuará funcionando da forma adequada, sem problema sérios.

Gostou das informações do conteúdo? Que tal ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo automotivo? Não perca tempo e assine a nossa newsletter!



Notícias recentes
Nissan March
Nissan March Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...
Receba novidades por e-mail
Campo obrigatório Digite seu Nome
Campo obrigatório Informe um e-mail válido Informe um e-mail válido