Você sabe qual a diferença entre o veículo seminovo e usado?


O momento de comprar ou trocar de carro reserva inúmeras dúvidas para muita gente. As interrogações vão bastante além da escolha da marca, categoria ou modelo do automóvel pretendido. Nem sempre se pode comprar um zero quilômetro, portanto é fundamental saber a diferença entre seminovo e usado.


Essa distinção traz implicações diretas ao bolso do comprador e define como será sua relação com o novo carro. Benefícios relacionados ao preço, em alguns veículos, correm o risco de virar desvantagens com respeito a questões como reparos de manutenção possivelmente necessários.

Você se interessa pelo assunto e quer ficar por dentro? Então continue a leitura e entenda melhor quais as principais distinções entre carros seminovos e usados. Aproveite!

Ano e quilometragem

O veículo seminovo possui até 60 mil quilômetros rodados e três anos de uso, representando uma média de 20 mil quilômetros anuais. A rigor, esse tipo de automóvel ainda está nas mãos do primeiro proprietário.

Já os veículos usados extrapolam a marca de 60 mil, os três anos de duração e estão no mínimo no segundo proprietário. Carros usados, portanto, constituem uma base ampla de veículos, que são todos aqueles que não podem mais figurar na prateleira dos seminovos.

Nesses modelos, a manutenção costuma ser onerosa. Peças de desgaste natural demandam trocas, e mesmo as que duram por mais tempo podem apresentar elevada deterioração, como válvulas do cabeçote, pistões e virabrequim.

O cuidado com o veículo deve ser ainda mais criterioso, com trocas de óleo sempre dentro da quilometragem recomendada e uso de produtos de qualidade, o que inclui o combustível.

Eventualmente, em caso de perda de potência e queima de óleo, que tem por sintoma a fumaça emitida pelo escapamento, faz-se necessária a retífica dos componentes comprometidos, em especial cabeçote e motor.

Trata-se de um serviço de valor considerável, que precisa ser feito por profissionais extremamente qualificados para que se garanta uma boa sobrevida ao veículo.

Conservação

O estado de conservação diz muito sobre como o veículo foi tratado pelo antigo dono. Aspectos mais evidentes dão sinais relacionados às condições de componentes não visíveis superficialmente, como motor e câmbio. Veículos seminovos tendem a contar com bom estado de conservação em razão da pouca idade e quilometragem, mas há exceções.

Carros usados também podem ostentar boa conservação de acordo com a procedência, porém esse atributo fica mais escasso com a quilometragem alta e a passagem do tempo. Trata-se de um dos principais aspectos comparativos ao avaliar a diferença entre seminovo e usado.

Uma dica que vale tanto para automóveis novos quanto seminovos é evitar a compra de unidades pertencentes a frotas, como as de locadoras de veículos, por exemplo. A impessoalidade e temporariedade do uso costumam significar pouco cuidado por parte dos motoristas, além da alta quilometragem mesmo em veículos com poucos anos.

Máquinas empregadas nesse tipo de serviço são as mais básicas, pois o tipo de configuração diminui o preço e facilita a obtenção de lucro com a locação do veículo. O mesmo vale para carros de empresas de outros
setores, como o de transporte e entrega de mercadorias. Táxis também integram esse grupo!

Conhecer a procedência de um veículo usado, portanto, é imprescindível antes de fechar qualquer negócio. Embora os automóveis de frotas não sejam os mais recomendáveis, caso o potencial comprador insista em adquiri-los, no mínimo deve pagar um valor bastante abaixo da tabela FIPE.

Fatores como alta quilometragem, possível mal estado de conservação e compra barata consistem nos principais motivos. Como o carro pode exigir gastos consideráveis de manutenção, o valor pago deve ser vantajoso mesmo ao considerar tais investimentos pois, do contrário, é melhor investir um pouco mais em um veículo seminovo.

Preço

A maior vantagem de um veículo usado é o preço mais baixo, pois ele já conta com a depreciação dos primeiros anos de uso, que tende a ser a mais elevada. Por outro lado, esse também é um benefício dos seminovos,
visto que a partir do momento em que um veículo zero km deixa a concessionária, seu valor cai.

O montante ainda se relaciona ao já mencionado estado de conservação. Isso faz com que um veículo com cinco anos de uso e excelente condição apresente preço semelhante a um com dois anos mas mal cuidado pelo proprietário.

É necessário ponderar bastante para saber qual compra é mais vantajosa. Mesmo que a compra de um veículo usado pareça mais interessante, com o passar do tempo pode incidir a baixa liquidez. Dessa forma, para vendê-lo o proprietário precisa oferecer descontos ou aceitar avaliações abaixo de um número justo.

Questões importantes antes da escolha

O ideal é que você conte com mecânico e funileiro de confiança, caso não tenha experiência suficiente para fazer uma boa avaliação do veículo que deseja comprar. Esses profissionais são capazes de dizer se o conjunto mecânico mostra bom estado, assim como a lataria.

Uma dica para quem pretende avaliar por conta própria é prestar atenção a ruídos emitidos pelo motor, além da troca de marchas e da altura da embreagem, no caso de veículos manuais. Ao abrir o capô, verifique se o carro ainda possui os selos de fábrica. A ausência deles representa uma colisão antiga, resultando em desvalorização.

Avaliar a própria condição financeira também consiste em aspecto vital. Afinal, é possível comprar um veículo de luxo com dez anos de uso pelo mesmo valor de um seminovo popular.

Entretanto, caso o motor apresente problemas, o conserto representa o montante de um outro automóvel. Outra
possibilidade é que, de acordo com seu poder aquisitivo, o carro precise permanecer parado ou ser vendido por uma quantia muito abaixo daquela pela qual foi comprado.

A atenção aos documentos também se faz necessária. Confira se não há restrições ou multas antes de fechar negócio, por exemplo. A ponderação é indispensável, e isso deve acontecer de forma fria, sem considerar
possíveis paixões automobilísticas em um primeiro momento.

Tenha em mente o tipo de proprietário que você é, como o veículo será utilizado e o que seria uma boa relação com a sua possível compra. Agora que conhece a diferença entre seminovo e usado, não tema ser extremamente criterioso, pois um carro figura como bem de valor considerável, e só compre aquele que representar um ótimo negócio!

E então, gostou do texto? Aproveite e entre em contato conosco: estamos à disposição para lhe apresentar os melhores modelos!




Notícias recentes
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...
Receba novidades por e-mail
Campo obrigatório Digite seu Nome
Campo obrigatório Informe um e-mail válido Informe um e-mail válido
Campo obrigatório