Controle de estabilidade: como funciona e por que ele é importante?


O mercado automobilístico é um dos mais inventivos do mundo, basta ver a quantidade de novidades que são desenvolvidas anualmente. Se muitas delas ficam restritas a veículos mais caros nos primeiros anos de lançamento, com o tempo, a tendência é de barateamento da tecnologia e emprego em carros de categorias inferiores, como acontece agora com o controle de estabilidade.


Essa é uma excelente notícia, especialmente quando se trata de itens que incrementam a segurança no trânsito e salvam vidas. E também se alinha ao perfil do consumidor brasileiro, que é cada vez mais exigente na hora de comprar um carro.

Quer saber mais sobre o funcionamento do controle de estabilidade? Continue a sua leitura e tire todas as suas dúvidas sobre o tema. Confira!

O que é controle de estabilidade?

É um sistema que atua na correção da trajetória do veículo por meio de comandos para o sistema de frenagem, que corrige falhas na estabilidade provocadas por falha do motorista ou relacionadas às condições do asfalto. É considerado por muitos especialistas o maior aliado da segurança no trânsito, ao lado do cinto de segurança.

Inclusive, na Europa esse sistema já é obrigatório nos veículos disponíveis em seu mercado, e no Brasil será exigido a partir de 2022. Para que se tenha noção da sua importância, desde 2016 o Latin NCAP, que testa a segurança de automóveis, só pode oferecer nota máxima a veículos que além de outros requisitos, contem com esse item.

O Instituto de Segurança Viária dos Estados Unidos da América realizou estudos que estimaram uma redução de 43% no número de acidentes fatais e de 83% no índice de capotamentos em razão do controle de estabilidade. Resultados bastante expressivos e que reforçam a necessidade de tornar tal dispositivo obrigatório em todos os veículos novos.

Como funciona o controle de estabilidade?

O sistema tem dois componentes principais: o hardware e o software. O primeiro se relaciona a sensores e atuadores, e o segundo à própria inteligência do sistema, ao seu sistema operacional propriamente.

O software processa informações de sensores nas rodas e direção do veículo e, por meio dos dados obtidos, é capaz de avaliar se há o risco de se perder o controle da estabilidade. Caso haja, enviará comandos para que seja feita a correção dessa trajetória.

Ele verifica, por exemplo, se o comando do volante corresponde à direção que o veículo está seguindo. Por exemplo, em uma pista molhada, pode ser que o veículo em algum momento tome rumo diverso àquele que o motorista lhe dá por meio do volante. Nesse caso, o controle de estabilidade atuaria sobre os freios de maneira individualizada em cada roda, para que se mantenha o controle.

Quais veículos contam com essa tecnologia?

Como ainda não há a obrigatoriedade para todos os veículos novos serem equipados com esse sistema, ele é comum em veículos mais caros. Mas alguns modelos mais acessíveis já contam com essa tecnologia, a exemplo do Honda Fit DX 1.5 e do Volkswagen Polo 1.0 TSI.

Com os dados apontados no texto, fica a evidente a importância de se contar com esse mecanismo para aumentar a segurança no trânsito, razão pela qual você deve dar preferência para modelos que já contem com essa tecnologia quando for comprar seu próximo carro.

Agora que você sabe tudo sobre o controle de estabilidade, aproveite e assine a nossa newsletter e mantenha-se bem informado!



Notícias recentes
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...
Receba novidades por e-mail
Campo obrigatório Digite seu Nome
Campo obrigatório Informe um e-mail válido Informe um e-mail válido
Campo obrigatório