Entenda quando é hora de comprar pneus novos


Manter o bom estado dos pneus é fundamental para a segurança do motorista, dos demais ocupantes do veículo e dos pedestres. Esses revestimentos costumam ser bastante negligenciados pelos proprietários de veículos, embora influenciem diretamente a segurança, a dirigibilidade e até o consumo de combustível. Mas como saber a hora certa de instalar pneus novos?


Diversos sinais denunciam o mau estado de um pneu, porém, não é recomendável esperar que surjam estragos aparentes para fazer a troca — muito menos imprevistos ou “deslizes” na estrada, que podem colocar a sua vida e a de outras pessoas em risco. Problemas como esses deixam claro que os pneus já deviam ter sido trocados há muito tempo.

Confira nossas dicas para entender se está na hora de comprar pneus novos para o seu carro e também para escolher o conjunto certo ao fazer a compra. Boa leitura!

Quais os riscos de rodar com pneus em mau estado?

Os sulcos presentes na banda de rodagem dos pneus têm um papel fundamental na estabilidade do veículo, pois permitem que a água do solo escoe e que a borracha permaneça em contato com a estrada. É por isso que pneus desgastados são particularmente perigosos em pistas molhadas, uma vez que os riscos de aquaplanagem são muito maiores.

Os freios também podem ter a eficiência prejudicada, bem como a direção do automóvel. Em casos críticos, o alinhamento e o balanceamento do carro podem perder o efeito e ainda gerar trepidações na direção.

Por fim, mas não menos importante, não podemos nos esquecer de que os sulcos dos pneus, por lei, precisam ter, pelo menos, 1,6 mm de profundidade.

Quando devo comprar pneus novos para o meu carro?

A troca dos pneus é indicada em diversas situações. Confira a seguir os principais elementos que você deve considerar.

Banda de rodagem (TWI)

Muitos motoristas acreditam que devem instalar pneus novos somente quando os sulcos da banda de rodagem sumirem completamente. Isso é errado e perigoso. Existe uma marcação chamada Tread Wear Indicator, o famoso TWI, que demonstra o momento em que a troca é necessária, no caso, quando o indicador TWI — pequena saliência nos sulcos — se iguala à altura da banda de rodagem.

Se preferir, você também pode realizar o “teste da moeda”. Basta colocar uma moeda de um real nos sulcos dos pneus. Se você conseguir ver a parte dourada, precisa fazer a troca. Verifique constantemente, pois problemas em determinadas peças do carro — como amortecedores —, causam desgaste prematuro.

Data de validade

Outro erro bem comum é achar que, se os sulcos da banda de rodagem estão bons, não é preciso fazer a troca. Pneus também têm prazo de validade, que costuma ser de cinco anos. Ao atingir a data de validade indicada pelo fabricante, você deve fazer a substituição o quanto antes, pois o estado de conservação da borracha e de outros componentes pode oferecer riscos.

Bolhas externas

Pneus comuns que rodam frequentemente em áreas muito comprometidas, como estradas de terra ou asfaltos esburacados, podem apresentar “calombos” nas extremidades da banda de rodagem ou na lateral do pneu. Isso significa que as fibras internas que compõem a estrutura do pneu se romperam, permitindo que o ar escapasse formando uma bolha.

Em casos assim, a troca deve ser providenciada imediatamente. Ao rodar com algum pneu nesse estado, a estabilidade do carro é gravemente comprometida e o risco de estouro é enorme, como alerta o engenheiro mecânico Dario Vasconcelos em reportagem da Petrobras. As bolhas também podem levar à quebra de outros componentes da roda e provocar acidentes.

Bolhas internas

Bolhas externas são relativamente fáceis de serem detectadas, mas, quando são internas, a tarefa é mais complicada, e isso pode acontecer até com pneus novos. Por esse motivo, procure realizar manutenções preventivas em seu carro. Por meio delas, esse tipo de problema é percebido facilmente.

Rasgos

Rasgos nos pneus são causados, principalmente, por buracos na pista ou por superaquecimento, um risco que se eleva quando os pneus estão com pressão inadequada, por isso, é fundamental manter a calibragem correta.

Ressecamentos

Tenha muito cuidado, também, com pneus ressecados ou esfarelando. Quando estão nessas condições, a eficiência é comprometida, mesmo que apenas as laterais apresentem essas características. Isso costuma acontecer com mais frequência em produtos recauchutados ou em veículos que ficam muito tempo expostos ao sol.

Furos

Embora a colagem de pneus seja muito comum, ela é apenas uma solução provisória. Por mais sutil que tenha sido o furo, outros componentes da estrutura do pneu são danificados. É por isso que os fabricantes recomendam a troca também nesses casos.

O que considerar ao comprar pneus novos?

Constada a necessidade de comprar pneus novos, é preciso tomar alguns cuidados, como os que estão citados abaixo, ao realizar a troca — até mesmo para prolongar a durabilidade desses componentes.

Compre pneus apropriados

No manual do seu automóvel você encontra todas as especificações indicadas pelo fabricante do veículo, inclusive sobre o tipo de pneu que deve ser instalado. No manual, você encontrará a medida, o material, o índice de carga e o índice de velocidade que devem estar presente na etiqueta dos pneus.

Lembre-se de que o carro foi projetado e testado para atuar de acordo com essas recomendações, por isso, é fundamental segui-las corretamente. A troca de rodas ou pneus por itens não originais pode comprometer o funcionamento de outros componentes do veículo e também desvalorizá-lo.

Evite usar pneus restaurados

Pneus remoldados e recauchutados são uma opção mais barata e aparentemente sustentável, mas é preciso ter cautela. Ainda que a tecnologia empregada nos processos de restauração tenha evoluído muito, esses pneus continuam sendo mais frágeis que os novos e sua vida útil é significativamente menor.

Enquanto um conjunto novo, sob condições normais, requer a troca entre 50 e 60 mil quilômetros, um conjunto de pneus remoldados roda, no máximo, 30 mil quilômetros. Sempre invista na qualidade e no retorno no longo prazo, ao realizar a manutenção do seu veículo.

Instale quatro pneus novos ao fazer a troca

É normal que as pessoas queiram reduzir os gastos com os seus carros. Mas, em muitos casos, isso não é uma boa ideia. A segurança do rodízio é polêmica, mas os fabricantes são claros ao dizer que os quatro pneus do veículo devem ser substituídos na troca.

Quando um dos pneus está mais desagastado que os outros, a eficiência do alinhamento e do balanceamento é prejudicada. Além disso, aumentam-se as chances de danificar peças, como amortecedores e terminais de direção. Como resultado, é possível que os custos para reparar os danos sejam bem maiores em relação ao investimento que você faria instalando os quatro pneus de um só vez.

Como você viu, colocar pneus novos no carro, nas situações em que a troca se faz necessária, além de evitar acidentes de trânsito, contribui para que haja economia no que diz respeito à manutenção de seu veículo. Siga nossas dicas e desfrute o seu automóvel com segurança e conforto.

Agora que você já sabe como manter os pneus do carro em dia, que tal aprender o que são e para que servem as pastilhas de freio?



Notícias recentes
Nissan March
Nissan March Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...
Receba novidades por e-mail
Campo obrigatório Digite seu Nome
Campo obrigatório Informe um e-mail válido Informe um e-mail válido