Como não dar tranco no carro? Conheça 5 dicas!


Nada mais comum do que dar tranco no carro, não é mesmo? Todo mundo passa por isso. Há quem diga que o câmbio manual já é coisa do passado, mas a verdade é que ele ainda faz parte da rotina de muita gente e, neste post, você vai aprender, de uma vez por todas, como utilizá-lo da forma mais eficiente possível.

O “tranco” ou “soco” acontece quando a sincronia entre a pisada na embreagem e a aceleração é perdida. Se você solta o pedal da embreagem muito rapidamente, demora muito para acelerar após troca ou engata uma marcha em uma velocidade inadequada, com certeza isso vai acontecer.

Confira, abaixo, 5 dicas definitivas para nunca mais errar no câmbio do seu carro!

1. Faça um bom controle de embreagem

Antes de qualquer coisa, você precisa conhecer o seu carro e descobrir como ele responde à aceleração. Um bom exercício é ligá-lo no ponto morto e acelerar um pouco, observando o conta-giros no painel. Depois do exercício você estará mais seguro para dirigir.

Os passos básicos para arrancar são:


    • comece com o pé no freio e na embreagem e coloque a primeira marcha;
  • em seguida, solte a embreagem lentamente até começar a sentir uma pequena trepidação. Quando senti-la, mantenha o pé esquerdo nessa posição;
  • com o pé direito, solte o freio e pise no acelerador suavemente;
  • por fim, solte a embreagem devagar até liberar o pedal.

Se você estiver parado em uma ladeira e precisar arrancar, o procedimento é o mesmo, mas talvez seja necessário acelerar um pouco mais para dar força para o carro subir.

2. Troque a marcha de acordo com as rotações do motor

Popularmente, as pessoas costumam usar os ruídos do motor como referência no controle do câmbio. Ouvir o motor é importante, principalmente quando você ainda está conhecendo o seu carro, porém o ideal é sempre trocar as marchas de acordo com o tacômetro ou conta-giros no painel.

Alguns carros apresentam uma indicação no ponto ideal em que a marcha deve ser trocada, mas geralmente o momento certo para troca está em torno das 3.000 rotações por minuto (RPM). O valor exato você pode encontrar no manual do fabricante ou observando a própria reação do motor ao dirigir.

3. Descubra a velocidade correta para cada marcha

Carros mais simples frequentemente têm marchas curtas e, por isso, alcançam menores velocidades dentro de cada marcha em relação a veículos mais potentes. Não existe uma receita pronta, é preciso se acostumar com o seu carro, mas para exemplificar, abaixo você confere as velocidades médias recomendadas para troca de marchas em um carro 1.0 comum:


  • 1ª marcha  0 a 20 km/h;
  • 2ª marcha  20 a 40 km/h;
  • 3ª marcha  40 a 50 km/h;
  • 4ª marcha  50 a 70 km/h;
  • 5ª marcha  a partir de 70 km/h.

4. Reduza a marcha corretamente


Para reduzir a marcha o procedimento é o mesmo. Quando estiver em movimento, retire o pé do acelerador e deixe a velocidade diminuir até o intervalo apropriado para a marcha que deseja colocar. Vale usar o freio para agilizar o processo.

Quando chegar na velocidade adequada, pise fundo na embreagem e troque a marcha. Em seguida, solte o pé da embreagem lentamente e volte a acelerar aos poucos. Para parar o veículo, as instruções também são as mesmas.

5. Preserve a embreagem

Um velho vilão do câmbio são os engarrafamentos. O terrível “anda e para” desgasta o sistema e, para piorar, esse é o momento em que muitos motoristas não resistem à comodidade e acabam apoiando o pé na embreagem ou arrancando de segunda, aproveitando a baixa velocidade.

Outro mau hábito na mesma linha é segurar o carro com o freio e a embreagem em ladeiras. Tudo isso é prejudicial, assim como controlar o câmbio incorretamente.

Segundo Henry Grosskopf, gerente de engenharia de produtos da Tuper Escapamentos e Catalisadores, dar tranco no carro, com frequência, não só desgasta os componentes da embreagem e da caixa de câmbio, como pode afetar outras peças importantes que exigem reparos com custo elevado.

Logo, ao seguir os procedimentos corretos você preserva os componentes do seu carro e economiza combustível, garantindo uma condução mais eficiente e segura.

Este conteúdo foi relevante para você? Se você assinar a nossa newsletter, terá a oportunidade de receber diretamente no seu e-mail outras dicas valiosas como as que você acabou de ler. Até a próxima!



Notícias recentes
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar
Confira 4 vantagens de ter um carro com teto solar Saiba mais...
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro!
Saiba o que é e para que serve a correia dentada do carro! Saiba mais...
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018
Saiba quais foram eleitos os melhores carros do ano de 2018 Saiba mais...
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro
Saiba como evitar o desgaste prematuro dos pneus do carro Saiba mais...
Receba novidades por e-mail
Campo obrigatório Digite seu Nome e Sobrenome
Campo obrigatório Informe um e-mail válido Informe um e-mail válido